Criatividade e ousadia revolucionam negócios: conheça o ToonTubers

Tempo de leitura: 4 minutos

Vivian e Camila contam como transformaram uma ideia em um produto de alta escala

A CCXP Tour Nordeste vai além de cosplayers e camisetas geeks. O evento, que acontece no Recife pela primeira vez, traz diversas rodas de debate e expõem estratégias e ideias que quebram limitações e alcançam níveis extraordinários, quando bem trabalhadas.

É o caso do “ToonTubers”, um canal do Youtube de gameplay que vem fazendo o maior sucesso entre os fãs de cultura geek. As criadoras, Vivian Arias e Camila Ferreira, contaram como se deu o processo de estruturação do projeto, que insere os personagens Rigby e Mordecai (de “Apenas um show” – CartoonNetwork) em uma narrativa inédita e com uma proposta dinâmica de imersão do público. “Quando a gente pensou em fazer essa transmídia com algum personagem do CartoonNetwork, ficamos imaginando qual deles estaria tentando ganhar dinheiro fazendo vídeos na internet e logo chegamos no “Rigby e Mordecai”, foi instantâneo”, revela Vivian, que trabalha no canal há 17 anos.

O projeto, que surgiu como todo insigth surge – no banho -, logo foi apresentado à diretoria e, de cara, foi negado por falta de recursos. “A diretoria não enxergou o potencial do produto de cara, apenas o seu custo. Claro, fazer uma animação requer tempo e dinheiro, e naquele momento não havia investimento extra para o Toontubers”, conta Camila.

Camila Ferreira  e Vivian Arias no painel da CCXP Tour 

Após o primeiro não, a dupla criadora se viu perdida, mas sem chances de desistir. “Se um criativo tem uma ideia em algum lugar no mundo, um outro criativo em algum lugar do mundo vai ter a mesma ideia, então tínhamos que correr”, completa Camila. A falta de recursos, porém, acabou funcionando como um incentivo para a insistência da criação e obrigou a dupla a buscar um caminho alternativo com meios e linguagem mais simples e acessíveis.

“Existe uma liberdade impressionante nas suas limitações. A gente começou a pensar e pesquisar quando nos deparamos com uma solução muito óbvia: o Youtube. Por que não transformar um produto do CartoonNetwork em outro produto do CartoonNetwork?”, revela Vivian.

E aí o projeto começou a fluir. As criadoras montaram uma equipe pequena, mas eficiente, e começou a fazer pilotos para conseguir a aprovação da chefia. “A gente precisava de uma equipe equilibrada e engajada para fazer a diferença. Precisávamos dos melhores. Não tenha medo de trabalhar com profissionais que são melhores que você. Aprenda com eles!”, aconselha Vivian.

O processo de produção da websérie é intenso: pesquisa (entendendo o target), experimentação (testando os jogos, as possíveis reações e potencialidade do produto), edição, criação (montagem do roteiro), adaptação (exportado para América latina) e reação dos públicos. O processo é intenso, mas o resultado é inacreditável.

Fã do gameplay na plateia

O canal do Cartoon Brasil no Youtube tem cerca de 700 mil inscritos e, enquanto os demais vídeos postados alcançam, em média, 50 mil views, os episódios do ToonTubers ultrapassam, sempre, 1 milhão de visualizações e provoca um engajamento surpreendente com o público. “É surreal a interação dos fãs. Eles criam jargões que a gente acaba usando nos episódios, é uma relação multidirecional, nós precisamos deles para a coisa acontecer”, afirma Camila.

Sobre os caminhos para inovar e empreender, Vivian revela que é preciso acreditar na ideia e manter sua intuição ativa. “Depois que aprovaram o novo caminho, pediram pra gente não quebrar a quarta parede para não perder a imersão dos fãs no produto, mas não obedecemos e o resultado foi maravilhoso, o engajamento do público aumentou quando os personagens falavam com eles, é surpreendente”, disse.

Vivian e Camila são a demonstração real de novos modelos de negócios pensados a partir de prismas que fogem do comum. O projeto já foi avaliado e aprovado por J.G. Quintel, criador da série “Apenas um show”, que dá fomento ao Toontubers. “É muito fácil ficar preso no conceito, no planejamento, nas ideias e nunca dar o primeiro passo. Muitas respostas só aparecem quando o seu projeto está rodando. Se você esperar ele ser perfeito pra começar, ele nunca vai começar!”, aconselha Vivian.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *